Início Arte e Cultura por Adriana Sorgenicht Teixeira Museu do Prado faz 200 Anos

Museu do Prado faz 200 Anos

509
0
COMPARTILHAR

O mais importante e completo acervo do período áureo da pintura espanhola encontra-se no Museu do Prado, em Madri (Espanha). Ele acaba de completar dois séculos de sua inauguração e é nosso destaque internacional da semana.

Outra data que se sobressai em âmbito nacional é o centenário de uma das obras adultas mais célebres do romancista, contista e grande renovador da literatura infantil, Monteiro Lobato. A partir desse fato, oportunamente emendamos mais duas notícias relacionadas ao autor.

Fronteira das Artes (Internacional)

Museu do Prado: dois séculos de classicismo  

Um dos maiores da Espanha, inaugurado e aberto ao público para visitação em 19 de novembro de 1819, o Museu Nacional do Prado fez 200 anos na terça-feira passada.

Localizado no Paseo del Prado, contém o maior acervo de pinturas clássicas do mundo, distribuído em 45 mil metros quadrados. Possui mais de mil quadros, além de esculturas e outras peças de arte decorativas, num total de 5 mil itens atualmente.

Crédito: techtudo.com.br

O Museu do Prado é um dos endereços turísticos mais importantes para quem visita a capital espanhola. Ele foi desenhado a pedido do rei Carlos III e arquitetado por Juan de Villanueva.

A proposta inicial era construir um gabinete de ciências naturais. Mas foi depois transformado em um Museu Real de pinturas e esculturas, a partir de coleções de obras-primas de reis e rainhas.

Oitenta por cento das obras do espanhol Diego Velásquez estão no Prado, entre elas As Meninas

Entre seus destaques estão mais de 140 pinturas de Francisco de Goya e Lucientes (1746-1828), que trabalhava para a corte espanhola. Mais de oitenta por cento dos quadros de Diego Vélasquez (1599-1660) também estão expostos no museu. Incluindo As Meninas (1656), um dos mais famosos e admirados.

O acervo traz ainda obras de Bartolomé Bermejo, Pedro Berruguete, Sánchez Coello, El Greco, Ribera, Zurbarán, Murillo, Alonso Cano, Vicente López, Rosalles e Sorolla.

A coleção de esculturas do museu possui mais de 900 trabalhos, remetendo aos estilos clássico, renascentista e barroco dos séculos XVIII e XIX, além do medieval e oriental.

Fronteira das Artes (Nacional)

Monteiro Lobato em três tempos

100 anos de Cidades Mortas

Publicado em 1919, o livro de contos de Monteiro Lobato relata a decadência do Vale do Paraíba na época, consequência da abolição da escravatura.

A região, que abrange cidades do leste do estado de São Paulo e alguns municípios do Rio de Janeiro, desenvolveu-se em torno da agricultura cafeeira ao longo do rio Paraíba do Sul, entre a Serra da Mantiqueira e a Serra do Mar.

Inspiração para o público infantil

Situada no interior de São Paulo e integrante do circuito Mantiqueira-Paulista, Monteiro Lobato anuncia que pretende se transformar em referência para o turismo infantil e literatura infantil naquela região e no estado.

A prefeita do município, Daniela de Cássia, recentemente apresentou projeto de um parque temático baseado no livro Águas Claras, do autor homônimo, “pai” de Emília, Narizinho, Pedrinho, Dona Benta, Visconde de Sabugosa e tantos outros personagens inesquecíveis.

De acordo com a nova proposta, será criada uma biblioteca e um museu dedicado ao escritor, um teleférico, um anfiteatro e uma concha acústica para espetáculos, além de restaurante panorâmico e outras atrações, cujas obras deverão ter início em janeiro do próximo ano.

Crédito: radiosertaofm.net.br
Neto do escritor visitou Águas de São Pedro (SP)

O empresário Ricardo Monteiro Lobato, bisneto do escritor Monteiro Lobato, recentemente proferiu palestra, realizou sessão de autógrafos e expôs objetosdo acervo do autor em Águas de São Pedro (SP), por ocasião da Feira do Livro do município, realizado pela Zuiza Livraria e Sebo. 

A obra e o legado de seu bisavô, o paulista de Taubaté José Bento Renato Monteiro Lobato (1882-1948), atravessam gerações representando a literatura infantil do Brasil e tem um significado muito especial para a infância de todos os brasileiros em geral e a história de Águas de São Pedro e região em particular.

Foi Lobato quem, em 1923, iniciou intensa campanha pela imprensa, denunciando a existência de petróleo na Fazenda Araquá, próxima do município de Charqueada. Dela resultaram pesquisas intensivas, que não confirmaram sua tese e acabaram sendo interrompidas.

Leia também da mesma autora ARTUR destaca Colonia del Sacramento e Belchior

 

Deixe uma resposta