Início Arte e Cultura por Adriana Sorgenicht Teixeira Vem aí o Museu do Oscar

Vem aí o Museu do Oscar

164
0
COMPARTILHAR

Em meio a um momento histórico do Oscar de 2020, de um filme estrangeiro ganhar as duas categorias de Melhor Filme de Língua Estrangeira e Melhor Filme, a Academia de Artes e Ciências Cinematográficas anunciou que abrirá seu museu em 14 de dezembro de 2020, em Los Angeles (Califórnia, EUA).

Fronteira das Artes (Internacional)

And the Oscar goes to….

O anúncio foi feito durante a 92ª cerimônia do Oscar, no último dia 09, com o ator e vencedor do Oscar, Tom Hanks. O museu incluirá uma homenagem ao ator Kirk Douglas, que morreu na quarta-feira anterior (05).

O novo espaço vai se chamar Academy Museum of Motion Pictures e incluirá obras de grandes diretores e, claro, as inovações do cinema.

Durante o Oscar desse ano, a Academia de Artes e Ciências Cinematográficas anunciou que abrirá seu museu em 14 de dezembro de 2020, em Los Angeles

A ideia de inaugurar um museu para a Sétima Arte surgiu em 2012, que deveria ser inaugurada em 2017, mas acabou sofrendo atrasos e, finalmente, deve ser inaugurado este ano.

Com esses atrasos os custos quase dobraram. Estrelas como Steven Spielberg, Barbra Streisand e George Lucas, assim como estúdios de cinema, fundações e empresas doaram milhões de dólares. (Fonte: multversogeek.com.br)

Agenda

Carnaval de Jazz em Curitiba (PR)

A capital paranaense se consolidou como uma ótima opção para foliões que buscam atrações diferenciadas, que servem como alternativas à folia tradicional.

Foi assim que surgiram, por exemplo, o Psycho Carnival, a Zombie Walk e o CarnaVibe. Agora, a capital paranaense se prepara para receber o 1º Carnaval de Jazz de Curitiba: o CarnaJazz.

Idealizado pela rede Porks, o CarnaJazz será realizado entre os dias 21 e 26 de fevereiro, na unidade da marca localizada bem na frente do Museu Oscar Niemeyer (MON).

O evento inédito contará com importantes atrações do cenário local. Entre as atrações musicais confirmadas estão nomes como Ricardo Maranhão Trio, Anne Glober, Carine Luup, Estação Jazzera, Jazz Pop e Helena Quarteto. A entrada é gratuita. (Fonte: curitibacult.com.br)

João Câmara no Circuito Nannai Cultural

Todos os anos, o Nannai Resort & SPA convida artistas locais para exibir obras em seu circuito cultural e, para a edição de 2020 (12ª), as pinturas do artista João Câmara estarão presentes no resort até o próximo dia 05 de março (10h às 19h), que fica a 10 quilômetros de Porto de Galinhas (PE).

A exposição acontece no espaço da Nannai Beach Boutique, loja conceito de moda balneário que fica junto ao Nannai SPA by L’Occitane, no resort.

Ambos, boutique e SPA, são abertos ao público, e a exposição acrescenta mais uma atração para quem está a passeio na região e quer um lugar diferente para visitar, fazer compras e relaxar.

João Câmara é um premiado pintor, desenhista, gravurista, professor e crítico de arte paraibano, radicado em Olinda, que tem obras em museus como a Pinacoteca do Estado de São Paulo e o Museu de Belas Artes do Rio de Janeiro.

Ele já participou de dezenas de salões de arte e bienais e realizou diversas exposições individuais pelo país e no exterior. A maior parte da sua obra é composta de pintura a óleo, mas ele tem um trabalho significativo em litografia. (Fonte: Mercado e Eventos)

Quem disse?

Não tenho nenhum outro lugar para ir, a não ser todos os lugares. / A estrada deve, eventualmente, guiar-nos por todo o mundo. (Jack Kerouac)

Jean-Louis Lebris de Kerouac (1922-1969), mais conhecido por Jack Kerouac, foi um escritor estadunidense de ascendência franco-canadense e um dos líderes do movimento literário conhecido como Geração Beat.

Juntamente com William BurroughsAllen Ginsberg formou a tríade que inaugurou uma nova era na literatura, influenciando de forma definitiva a cultura de uma geração. A geração “Beat” ou “Beatnik”, como era chamada, tinha o costume de ser contra o que era comum.

Seu livro On The Road foi o marco da literatura “Beat”, que se recusava a obedecer os padrões impostos pela new criticism (na tradução literal “nova crítica”) para a qual a única importância de um livro (ou uma obra) estava em seu sentido literal, independentes de seu contexto e das intenções do autor e para a qual a única qualidade real de um escritor era o quanto sua escrita estava adequada ao padrão formal exigido.

Leia da mesma autora Turismo com música: nova-plataforma de incentivo às artes
 

 

 

Deixe uma resposta