Início Arte e Cultura por Adriana Sorgenicht Teixeira Casa Natura Musical: três anos renovando e preservando a música brasileira

Casa Natura Musical: três anos renovando e preservando a música brasileira

133
0
COMPARTILHAR

Neste mês de maio, a Casa Natura Musical completa três anos. Embora curta, sua trajetória é intensa, sempre acreditando na riqueza e no potencial da música brasileira. Nessa edição, lembramos alguns momentos desde 2017, quando foi inaugurado o reduto musical na esquina das ruas Artur de Azevedo e dos Pinheiros, na capital paulista.

A festa, nos dias 9 e 10 de maio daquele ano, não poderia ter sido melhor. Foram dois dias com shows de alguns dos nomes mais importantes de diferentes gerações da MPB: Maria Bethânia, Vanessa da Mata, Filipe Catto, Johnny Hooker, Xênia França, Mestrinho, e Tião Carvalho.

Casa Natura Musical: três anos renovando e preservando a música brasileira

Desde o primeiro momento, a Casa Natura Musical já sabia qual era (e qual ainda é) o principal objetivo a se atingir: ser mais do que uma casa de shows. Ser um lugar onde a música brasileira fosse celebrada na sua pluralidade, nos seus diferentes tons, nos seus diferentes ritmos. Onde se conectassem sua gente e sua história.

Um lugar que se preocupasse com a renovação de música brasileira e a preservação de sua memória. Um equipamento cultural que se relacionasse genuinamente com a sua comunidade. Que propusesse discussões e reflexões, seja por meio de shows ou da atuação nos canais de comunicação.

Até hoje superou o número de 400 shows com mais de 200 artistas de todos os ritmos e cantos do país: do soul tropical da Liniker e os Caramelows ao samba da Martn’ália; frevo do Spok ao synthpop brasileiro do Silva; tropicália de Tom Zé à psicodelia do Boogarins; bossa-nova de Toquinho ao carimbó chamegado da Dona Onete; MPB-indie do 5 a Seco ao pagodão baiano do ÀTTOOXXÁ; funk do Heavy Baile à MPB de Mônica Salmaso; pop-sofrência da Duda Beat ao rap de Emicida; forró de Elba Ramalho ao afropop de Margareth Menezes; ciranda de Lia de Itamaracá ao indie-pop da Tuyo; jazz experimental de Hermeto Pascoal à nova MPB de Céu.

Casa Natura Musical: três anos renovando e preservando a música brasileira

No primeiro ano, a Casa Natura Musical lançou o projeto Frequências, promovendo mais de 20 encontros incríveis entre diferentes artistas.

Desde 2018, o carnaval também veio pra dentro das paredes de taipas da Casa. Ela recebeu ensaios de alguns dos blocos mais animados de São Paulo. Ao mesmo tempo, no mesmo ano nasceu o Casinha, programação de shows pensada com carinho para o público infantil.

O palco da Casa Natura Musical já recebeu uma série de projetos especiais, reunindo artistas em torno de uma causa ou de uma homenagem. Um deles foi o Nelson Sargento Com Vida, na qual o ícone do samba carioca recebia convidados uma vez por mês.

Casa Natura Musical: três anos renovando e preservando a música brasileira

A Casa Natura Musical encampou diversas causas sociais, entre elas uma que entrou para a história: o Somos Moçambique. No dia 7 de maio de 2019, com participações de mais trinta músicos e ativistas, um show coletivo chamou atenção à necessidade de apoio ao país africano, diante da catástrofe gerada pelos ciclones em abril daquele ano. Toda renda obtida com os ingressos foi doada através da Cruz Vermelha e destinada a ações de cuidados às vítimas.

No Dia Mundial do Meio Ambiente (5 de junho) de 2019, o show Demarcação Urgente juntou seis artistas ligados à causa indígena: DJ MAM, Chico César, Céu, Letícia Sabatella, Felipe Cordeiro, Marlui Miranda e Kunumi MC, além da líder Sonia Guajajara.

Casa Natura Musical: três anos renovando e preservando a música brasileira

Os novos festivais que andam movimentando a cena musical brasileira também passaram pela Casa. Nestes três anos, a festa de lançamento, de encerramento ou edições especiais dos festivais Coala (SP), Bananada (GO), Festival DoSol (RN), Brasil SummerFest (NY), Queremos (RJ), além de noites especiais em parceria com veículos de comunicação ligados ao universo da música, como a Revista Noize e o portal Tenho Mais Discos Que Amigos.

A Casa Natura Musical também recebeu artistas internacionais que fazem conexão com a nossa música, nossos ritmos e nossa história. Alguns dos shows internacionais foram com o uruguaio Jorge Drexler, o cubano Ibrahim Ferrer Jr. e o da banda portuguesa de The Gift.

O lançamento do NA FAIXA, plataforma de arte digital, aconteceu em agosto de 2019. Instalada no painel de LED da fachada da Casa, funciona como um canal de divulgação cultural a céu aberto e recebeu a mostra Mídias Afetivas, composta por obras de quatro artistas que abordam questões relacionadas à diversidade de gêneros, sexual, de raça e de corpos.

Em dezembro de 2019, realizou o primeiro show de rua na fachada da Casa. Foi o lançamento da plataforma FILHXS&NETXS. Ele contou com participações de Mahal Pita, Rico Dalasam e outros artistas negros com conexões ancestrais e artísticas com a Bahia e o Brasil afrodiaspórico.

Nestes três anos, muito trabalho para transformar as redes sociais da Casa Natura Musical num canal de conteúdo sobre música e cultura geral, com dicas de discos e shows, e playlists temáticas. Também foi lançada uma newsletter quinzenal, com textos sobre movimentos e tendências musicais e entrevistas com músicos e especialistas.

Neste momento em que é impossível utilizar seu espaço físico, a Casa se reinventou, com lives para o mês inteiro, demonstrando que continua cada vez mais próxima de seu público sempre fiel.

Leia da mesma autora Legado cênico de Antunes Filho no Sesc Digital

 

 

Deixe uma resposta