Início Ecoturismo, Aventura e Esporte Niseko é a novidade para esquiar no Japão

Niseko é a novidade para esquiar no Japão

584
0
COMPARTILHAR

Existe uma infindável lista de razões para conhecer o Japão. E agora acrescente mais uma: esquiar em Niseko.

O país possui uma historia rica, com marcantes experiências culturais, como o design, a cena artística e a gastronomia. As icônicas gueixas, as cerimônias tradicionais de chá, os santuários de mil anos e os bosques de bambu protegidos em Kyoto são alguns atrativos famosos.

Não para por aí. Há outras cidades igualmente interessantes como Miyajima, Hakone, Osaka, Kanazawa e Onomichi. De monótono, o Japão nunca teve nada e a lista do que fazer no país asiático acabou de ganhar mais um ponto de referência: o esqui na vila de Niseko, localizada no pequeno Distrito de Abuta.

“Se você nunca ouviu falar, saiba que a estação é informalmente chamada de Aspen ou St. Moritz japonesa. A temporada de esqui que inicia em dezembro está bem concorrida”, garante Tomas Perez, CEO da Teresa Perez Tours, entusiasta das atividades na neve.

Vale lembrar que esses dois locais, nos Estados Unidos e na Suíça, são reconhecidos mundialmente pela ótima infraestrutura hoteleira e pela ampla rede de meios de elevação na montanha.

Niseko se consolida como destino turístico

Niseko está situado na base de um vulcão adormecido – o Monte Yotei, e próximo a um dos rios mais bonitos do Japão – o  Shiribetsu.

A estação de esqui de Niseko fica na ilha de Hokkaido, no norte do Japão, em uma colina com quatro resorts interligados e composta por inúmeras pistas para todos os níveis.

Ventos sazonais combinados à umidade do Mar do Japão permitem uma neve powder, ou seja, macia e ideal para snowboarders e esquiadores mais hábeis.

Niseko também é tomada por onsens – piscinas termais com águas naturalmente a 25oC – que se espalham por um horizonte branquinho e são perfeitas para o après-ski.

Quinze onsen locais compreendem o Niseko Onsenkyo. Um dos quais é o famoso onsen Kombu, com 100 anos de idade.

Os onsens não são os únicos atrativos a espera de quem estiver se divertindo na neve. Mesmo quando o assunto é esqui no Japão, o país se mantém como destino gastronômico.

Qual outro lugar proporciona ramen de frutos do mar, patas de caranguejo frescas ou sashimi de salmão depois de um tempinho nas pistas?

A gastronomia é tão marcante que é muito comum nos hotéis ski-in/ski-out da região a presença de chefs particulares nas residences e a realização de jantares exclusivos.

Aqui é possível encontrar desde a mais tradicional culinária japonesa até a fusão entre o Oriente e Ocidente. Niseko é diferente. É novidade em um destino já marcado por muitos highlights e é tendência absoluta de viagem para o segundo semestre.

É também prova de que “é possível variar os destinos e os meios de deslizar montanha abaixo, mas entra inverno, sai inverno, a paixão pela neve, essa não muda nunca”, destaca Tomas Perez.

Leia também Bariloche em setembro e a neve da primavera

Deixe uma resposta