Início Agências de Viagem e TMCs Empresa espanhola investe em turismo no Brasil

Empresa espanhola investe em turismo no Brasil

661
0
COMPARTILHAR

A Civitatis, companhia espanhola de distribuição on-line de visitas guiadas, excursões e atividades nos principais destinos do mundo, está ampliando sua atuação no Brasil, onde está presente desde 2018.

Conhecida por oferecer experiências em espanhol para turistas de fala espanhola, a empresa está se dedicando à criação de mais produtos específicos para o público brasileiro, tendo como língua principal o português.

O foco do investimento no país já considera as mudanças provocadas pela pandemia do Covid-19, e que impactaram as operações e os planos da empresa.

“É importante entender a dimensão desses impactos para adaptar-se às novas situações. Assim como, as novas regras de cuidado com a saúde, além de preparar-se para o futuro. Nós reorganizamos os planos e passamos a concentrar esforços nas melhorias do produto, para dessa forma atender brasileiros em viagens dentro do Brasil, pela América Latina e pelo mundo. Assim, estaremos preparados para atender às demandas quando as coisas se estabilizarem”, afirma o fundador e CEO da Civitatis, Alberto Gutiérrez.

Viajantes brasileiros podem reservar tours em seu idioma pela plataforma em português da Civitatis. Entre as experiências mais curiosas oferecidas pelo site, estão um tour gratuito por Marrakech, no Marrocos, uma visita guiada por Copenhague, na Dinamarca, além de uma aventura de moto em São Petersburgo,  na Rússia, e um safári de quatro dias na Namíbia.

Mais de 41 mil turistas do Brasil utilizaram a plataforma em 2019, apenas um ano após a chegada da Civitatis ao país. Para atender o público brasileiro, a empresa atualmente oferece 7 mil atividades no site em português, em mais de 970 destinos pelo mundo.

A expansão no Brasil para este ano prevê chegar a uma listagem de 10 mil atividades, em 1.100 destinos, dentro da lógica de melhorias no produto.

A ideia é não apenas agregar experiências em português em todo o mundo, como também oferecer mais opções em território nacional: ao todo já são 18 destinos oferecidos dentro do Brasil, com 160 atividades listadas – portfólio que irá aumentar nos próximos meses.

Crescimento e aceitação foram a base para a expansão no Brasil

Gutiérrez explica que a escolha do Brasil para tal investimento é um reflexo do crescimento expressivo no número de usuários brasileiros na plataforma, de quase cinco vezes de 2018 a 2019. E ainda que a pandemia desacelere o segmento no momento, a aposta é que o movimento de crescimento continue, assim que passar a crise.

Além disso, uma tendência no mercado de turismo também teve papel importante: a preferência do público brasileiro pela língua espanhola em relação ao inglês, quando falamos em tours e visitas, por exemplo.

“A América Latina faz parte da nossa estratégia há alguns anos. Sendo uma empresa espanhola que oferecia inicialmente experiências em espanhol pelo mundo, naturalmente começamos pelo mercado da América Latina que fala espanhol e vimos uma aceitação muito grande. A partir dessa experiência, sempre quisemos replicar isso no Brasil”, revela Gutiérrez.

Para isso, traduzir a experiência para o português era essencial. “Ainda não há uma empresa que ofereça atividades em português no mundo todo. Dessa forma, os viajantes terão experiências mais interessantes no próprio idioma. Temos que aproveitar essa oportunidade”, complementa.

Atualmente a Civitatis conta com mais de 36 mil atividades em mais de 1.250 destinos turísticos de 120 países. O objetivo da empresa para 2020, a nível global, é chegar a 50 mil atividades em 1.500 destinos.

Durante o período de quarentena, está aceitando reservas para que os passeios sejam realizados assim que houver liberação dos órgãos competentes e governos dos países.

“Cada localidade está em uma situação diferente frente à pandemia, e nós respeitamos e nos adaptamos à situação de cada país. Nosso foco no momento está em melhorar a plataforma e agregar mais destinos, para que possamos sair mais fortes disso tudo”, finaliza o CEO.

Leia também Como investir em marketing em tempos de coronavírus

Deixe uma resposta