Início Artigos Vamos vencer juntos a Crise do Medo no Turismo?

Vamos vencer juntos a Crise do Medo no Turismo?

225
0
COMPARTILHAR

Em meio à pandemia que já deixou mais de um milhão mortos por todo o mundo, o principal desafio do setor de turismo nesse momento é vencer a crise do medo e mostrar aos turistas que o transporte aéreo é seguro.

Para tanto, a Associação Internacional de Transporte Aéreo (IATA – International Air Transport Association) fez um estudo que demonstrou a baixa incidência de transmissão de Covid-19 a bordo das aeronaves.

Nesse estudo, foram relatados 44 casos cuja transmissão foi associada a uma viagem de avião. O número inclui casos confirmados, prováveis e potenciais. No mesmo período, 1,2 bilhão de passageiros viajaram. Isso significa um caso para cada 27 milhões. Há mesmo razões práticas para o medo de voar de avião?

Além disso, para manter as viagens aéreas mais seguras, as filas são gerenciadas e o processamento é sem contato. Durante o voo, o movimento é reduzido na cabine e os serviços foram simplificados a bordo.

Dentro da aeronave as interações face a face estão limitadas e o encosto atua como uma barreira física, evitando o movimento do ar de uma fileira para outra. O ar é trocado 20-30 vezes por hora através de um sistema de circulação que mistura ar puro, que vem de fora da aeronave, com o ar da cabine. Além disso, o ar circula do teto para o chão, dificultando o movimento de partículas entre as fileiras de passageiros.

Filtros HEPA (High Efficiency Particulate Air), que possuem mais de 99,9% de taxa de eficiência na remoção de bactérias/vírus, captam micro-organismos de até 0,01 micrômetros. O novo coronavírus varia de 0,08 a 0,16 micrômetros, garantindo o mesmo nível de eficiência de centros cirúrgicos.

O uso de máscara  é obrigatório e foi implementado pela IATA desde junho.

As companhias aéreas organizaram a saída dos passageiros por fileira para o desembarque, garantindo distanciamento social.

Estamos prontos?

Artigo de Roberto Trindade

Formado em Educação Física, Psicologia e Turismo, o autor é pós-graduado em Atividades e Esportes de Aventura e Psicologia do Esporte e também possui mestrado em Psicossomática.

Leia também do mesmo autor O desafio do turismo diante da pandemia

Deixe uma resposta