Início Arte e Cultura por Adriana Sorgenicht Teixeira Trovadores Urbanos: seresteiros balzaquianos e bem brasileiros

Trovadores Urbanos: seresteiros balzaquianos e bem brasileiros

585
0
COMPARTILHAR

Foi no dia dos Namorados, em 1990, que quatro músicos seresteiros decidiram realizar sua primeira serenata paulistana, resgatando uma singela tradição e emocionando uma cidade pouco habituada com manifestações afetivas dessa natureza.

Maída Novaes, Juca Novaes, Eduardo Santhana e Valéria Caram, seresteiros desde a infância, decidiram cantar e encantar as pessoas e o sucesso foi tanto que não demorou muito para que as serenatas se transformassem em presentes, homenagens ou comemorações entre aqueles que se querem bem.

Além desse tipo de apresentação, o grupo original também conduziu carreira musical fazendo shows por todo o Brasil e exterior. Gravou oito CDs e 2 DVDs e cantou trilhas sonoras para programas e novelas. Além de desenvolveur diversas outras opções de homenagens.

Hoje, os Trovadores Urbanos são uma verdadeira empresa de entretenimento romântico e original, com inesgotáveis ideias para homenagear, impressionar, promover, incentivar ou emocionar as pessoas.

Trovadores Urbanos: seresteiros balzaquianos e bem brasileiros

A empresa MMP Produções e Eventos foi fundada em 1980 pelos jornalistas Maída Novaes e Marcelo Baccarini. Atuou na área de shows, representando artistas como Silvio Caldas, Tom Zé e Walter Franco. Criadora dos Trovadores Urbanos administra a carreira do grupo.

O grupo Trovadores Urbanos iniciou sua carreira há trinta anos, em São Paulo, oferecendo o serviço de serenatas a domicílio na capital paulista. Inicialmente despretensioso, esse trabalho passou a ser um sucesso na cidade. Principalmente, após uma entrevista do grupo no conhecido programa de TV de Jô Soares, e uma matéria na revista Veja.

Com mais de 100 mil apresentações no Brasil e exterior, várias personalidades foram homenageadas com as serenatas dos Trovadores. Entre eles: Caetano Veloso, Sílvio Caldas, Alaíde Costa, Xuxa, Hebe Camargo, Antonio Fagundes, Eva Wilma, Adriane Galisteu, Mário Covas, Luiza Erundina, Raí, Hortência, dentre outras.

Trovadores Urbanos: seresteiros balzaquianos e bem brasileiros

Em 1991, paralelamente à carreira de serenatas, o grupo iniciou sua trajetória de shows, participando do projeto Via Paulista, do SESC Pompéia (SP), ao lado de Sílvio Caldas, parceria que rendeu vários outros shows, com temporadas no 150 Night Club do Hotel Maksoud Plaza (SP) e no Mistura Fina (RJ).

Esse início da carreira de shows dos Trovadores levou à gravação do primeiro CD em 1993, pela gravadora RGE, intitulado simplesmente Trovadores Urbanos.

Em 1995, lançou o CD “Serenata”, pela gravadora CID, do Rio de Janeiro. O trabalho contou com a participação especial de Sílvio Caldas, último registro fonográfico do compositor, cantando “Beco sem saída”, de sua autoria.

No ano de 1997, concretizou o projeto Brejeiro, com um disco contendo clássicos da música popular brasileira e um show dirigido por Myriam Muniz. A apresentação ficou em cartaz durante três meses no Teatro Brincante (SP).

Em 1999, o grupo produziu e lançou (com tiragem restrita para o patrocinador, Eletropaulo) seu quarto trabalho fonográfico, intitulado Canções Paulistas, baseado em pesquisa de Zuza Homem de Mello. O disco mapeou obras dos principais autores nascidos no Estado de São Paulo, em vários gêneros da música popular.

Trovadores Urbanos: seresteiros balzaquianos e bem brasileiros

Em 2002, gravou duas faixas para o songbook do compositor Paulo Vanzolini, lançado pela gravadora Biscoito Fino. No final desse mesmo ano, lançou o CD Copacabana, pela gravadora Dabliú Discos, com repertório selecionado por Zuza Homem de Mello e arranjos vocais e direção musical de Maurício Maestro. O disco foi lançado no Teatro São Pedro (SP), com grande sucesso de público.

No ano de 2004, três gravações extraídas do CD Canções Paulistas foram incluídas na trilha sonora da minissérie Um Só Coração (Rede Globo): “Viola Quebrada” (Mário de Andrade), “João de Barro” (Muibo Cury e Teddy Vieira) e “Cabocla Tereza” (João Pacífico e Raul Torres).

Nesses anos de carreira, os Trovadores Urbanos, além de se apresentarem em shows em vários Estados do Brasil, também o fizeram no exterior, em Portugal (1995 e 1997), Espanha, França (1993), e em Dubai, nos Emirados Árabes, em dezembro de 2003.

Em 2003 e 2004, o grupo participou do espetáculo Revolução de 32, apresentando em mais de 20 cidades paulistas. Em 2005, viajou com o espetáculo 15 Anos, com temporada nos teatros São Pedro e Tuca. O show Canções Paulistas, que originou o CD e DVD Canções Paulistas ao Vivo (Dabliú Discos), gravados no Teatro do Sesc Vila Mariana na semana de aniversário da cidade de São Paulo (janeiro de 2007), é apresentado desde 2000, com grande sucesso, em várias cidades de São Paulo e de outros Estados do Brasil.

Trovadores Urbanos: seresteiros balzaquianos e bem brasileiros

Desde 2010, a Seresta de Sexta, evento semanal e gratuito da Casa dos Trovadores”, atrai espectadores de várias cidades. O repertório e a decoração do sobrado em Perdizes se adaptam às principais datas comemorativas do ano – Carnaval, Dia das Mães, Dia dos Namorados e Natal.

No ano de 2012 o Instituto Trovadores Urbanos implantou dois polos de musicalização na zona sul de São Paulo, Cidade Ademar e Diadema, replicando o projeto dos Trovadores Mirins, grupo formado por 30 crianças de cinco a doze anos, sob a batuta de Lucila Novaes.

Em 2013, grande sucesso com as turnês Luz, 15 shows, e Sinfonia Seresteira, 12 shows, no estado de SP. Em 2014, o grupo seguiu em turnê com o quinteto Bachiana, de João Carlos Martins, espetáculo Sinfonia Seresteira, sendo que os Trovadores Mirins já lançaram o CD Paulistinhas, o universo paulista da música infantil.

O Instituto Trovadores urbanos seguiu com a Escola de Trovadores em Cidade Ademar, com 80 crianças estudando música e teatro. O projeto Seresteiros do São Francisco realizou-se em julho, documentando a música e cultura, os seresteiros da região do Médio São Francisco, Em 2015 foi lançado o documentário Os Seresteiros do Rio São Francisco. Todas as quartas-feiras do ano foram realizadas visitas às crianças do Hospital do Câncer AC Camargo.

Em 2015, alegria e festa, 25 anos de Trovadores Urbanos. Projetos principais: Música no Escuro, Abra Sua Janela Para São Paulo e show Trovadores Urbanos 25 anos.

Em tempos de coronavírus e isolamento social, as serenatas de janela viraram uma ótima maneira de surpreender pessoas em São Paulo. É nessa situação que os seresteiros se reinventaram, após 30 anos de janelas.

A nova janela é a tela do celular ou do computador. Segundo Maída Novaes, a empresa se resignificou com as serenatas on-line fazendo gravações ou ao vivo, espalhando afeto por aí. São totalmente personalizadas, com músicas especiais, mensagens e paródia sob medida, uma canção divertida que conta manias e particularidades dos homenageados. As serenatas gravadas são enviadas pelo WhatsApp.

Fonte: Trovadores Urbanos e Jornal Times Brasília

Leia da mesma autora MCB: readequação aos 50

Deixe uma resposta