Início Artigos Rota 174 volta a ser destino no trade

Rota 174 volta a ser destino no trade

528
0
COMPARTILHAR

Ligando o hemisfério norte ao hemisfério sul de nosso planeta, num percurso de 1.100 Km, entre a floresta amazônica e as planícies de Roraima, a Rota 174 volta a ser oferecida ao trade nacional e internacional.

A Rota 174 foi produto criado pelo Ministério de Turismo em 2010. Era para ser lançado nas feiras internacionais do trade. A intenção era atrair turistas do mundo inteiro para conhecer nossas belezas naturais. Porém, foi totalmente abandonado antes mesmo do lançamento.

A Roraima Adventures, operadora que recebeu no ano passado a menção honrosa da Braztoa como empresa sustentável, conhecedora das “entranhas” do nosso país, traz de volta esse indescritível destino.

O caminho percorrido passa pela exuberante floresta amazônica e suas bacias. E chega até os lavrados e serras de Roraima, no extremo-norte da terra “brasilis”.

Durante o percurso, passa-se por reservas indígenas, os cerrados de Roraima, a Gran Sabana – de onde se avista o altivo Monte Roraima, povos ribeirinhos e a cidade de Presidente Figueiredo (capital das cachoeiras).

É possível também navegar no “marco zero” da Terra e no encontro das águas dos rios Negro e Solimões. Isso tudo somado à diversidade cultural e gastronômica, que só essa rota pode oferecer.

“Esse é o momento onde “redescobrir” as belezas tão pouco exploradas de nosso país”, diz Magno Souza, da Roraima Adventure. A empresa passa a oferecer mensalmente pacotes de 5 e 10 dias, com saídas de Manaus e de Boa Vista.

Saiba mais sobre a Rota 174

O roteiro liga a cidade de Manaus (Amazonas – AM) à cidade de Pacaraima (Roraima – RR). Sendo que ao final da expedição, o trecho total será de quase 3.000 km rodados. Pela Rota 174, seguiremos até a Comunidade Paraitepuy, na Venezuela. No local, se avista o majestoso e místico Monte Roraima: um dos lugares mais antigos da Terra.

É uma viagem repleta de atrativos naturais, culturais, culinários, sem falar na exuberante biodiversidade da Amazônia e na ida à Reserva Indígena Waimiri-Atroari (com boas possibilidades de ver pássaros e animais livres na Natureza). Depois de entrar nos cerrados de Roraima, tem-se a oportunidade de conhecer uma região com forte influência indígena e cabocla.

A Rota 174 pode ser realizada durante o ano todo. A região tem apenas duas estações climáticas distintas: as chuvas e a seca. A viagem tem início em Manaus. Mas o roteiro pode ser modificado, conforme a disponibilidade de tempo do viajante ou, se preferir, fazer somente algumas das partes que tenha mais interesse.

Texto de Patrícia Campos
Leia também da mesma autora Afinal, o que é esse tal de turismo rural?

Deixe uma resposta