Início Carreira Do que os líderes do futuro vão precisar

Do que os líderes do futuro vão precisar

98
0
COMPARTILHAR

Segundo Marcelo Arone, os líderes precisarão mudar algumas diretrizes na era pós-Covid-19. Entre elas, menos burocracia e mais pragmatismo, menos delegar e mais “chegar junto”, apoiando seus times para o melhor caminho na retomada do crescimento. Que tipo de liderança você quer ser a partir de 2021?

Para Marcelo Arone, Headhunter e Coach de Carreira, especialista em recolocação executiva e sócio da OPTME RH, 12 anos de experiência no mercado de capital humano, a pandemia veio expor as deficiências e as qualidades dos líderes.

“Todos fomos arrebatados pelas mudanças que chegaram sem avisar, mas apenas alguns de nós vão sobreviver no pós-pandemia. E é possível, desde já, desenhar o perfil desses gestores que vão efetivamente liderar a mudança”, afirma ele.

Entre as características da liderança para 2021, estão:

  • Adaptação ao novo
  • Conexão tecnológica
  • Desapego de práticas burocráticas
  • Apoio incondicional a seus times
  • Postura proativa e fortalecedora
  • Resiliência e criatividade
  • Tomada de decisão rápida e certeira
  • Criação de ambientes saudáveis e eficientes

“O líder do futuro é inspirador, alguém realmente a ser seguido e que, se precisar, vai fazer, não vai esperar que façam por ele”, enfatiza o headhunter que, durante a pandemia, está ajudando empresas a reorganizar suas lideranças e a demitir de forma justa e com menos perdas para ambos os lados.

“O chefe realmente humano sofre com a demissão. Nenhuma empresa que estava a pleno vapor optou por demitir sem necessidade, e ajudar nessa empreitada foi uma das missões da OPTME em 2020”, revela Arone.

O que ele fez foi oferecer um serviço único, um coaching de carreira que não é oferecido diretamente para o colaborador, mas para a empresa oferecer a ele, como parte do processo de desligamento.

“Nós criamos um processo diferenciado, que permite ao colaborador, na maioria das vezes, sair de uma empresa e já ser incorporado a outra”, explica Marcelo.

Segundo ele, essa postura das empresas, mais humana e conectada com as necessidades de quem se doou a ela por anos, muitas vezes, faz parte da liderança do futuro.

Leia também O papel do profissional de recursos humanos na pandemia

Deixe uma resposta