Início Ecoturismo, Aventura e Esporte Turismo rural é fonte de renda para o produtor

Turismo rural é fonte de renda para o produtor

312
0
COMPARTILHAR

O turismo rural é um segmento que vem crescendo e se consolidando na região dos Campos Gerais, no norte do Paraná. A atividade gera renda e em alguns casos, é a principal fonte de sustento das famílias.

O produtor rural e proprietário da Fazenda Cercado Grande, José Luiz da Fonseca Pereira (Zeca), destaca que a região dos Campos Gerais é privilegiada com belezas naturais e o produtor pode explorar essas riquezas de uma maneira consciente, equilibrada e aberta para visitação.

Zeca lembra que a atividade turística na fazenda nasceu com a visita de amigos que vinham da cidade para passar uns dias em área rural. Através deles outras pessoas começaram a frequentar o local e assim surgiu a oportunidade de renda extra.

Buraco do padre, no Parque Nacional dos Campos Gerais

Hoje, os turistas chegam até a propriedade por uma agência de turismo. “Hoje, temos a empresa Adventurous Friends. Ela nos ajuda a explorar o local e traz muitos turistas para fazerem boia cross, rafting, trilha de bike, jipe e outros. Toda essa movimentação traz dinheiro para toda a região rural. Ela beneficia outros setores do comércio como postos de gasolina, farmácias e lanchonetes”, frisa o proprietário.

Entrar no mercado de turismo rural sem grandes investimentos

Ele acredita que a parceria entre produtores pode ser uma saída para que quem não quer fazer grandes investimentos mas mesmo assim ter uma renda com turismo.

“O produtor não precisa ter toda a estrutura como chalés, restaurante e outras coisas. Ele pode fazer uma parceria e levar os turistas na sua propriedade com um guia capacitado e aproveitar a beleza da natureza como cachoeiras, rios, paredões. Assim, ele também terá uma renda extra, sem grandes investimentos”, explica Zeca.

Segundo ele, fazendo estas parcerias as atividades podem ir além de Cercado Grande. “Temos vizinhos com ótimo potencial natural e, através de uma parceira, levamos os turistas até lá. Depois fazemos um partilha dos lucros referente às pessoas que visitaram determinado local. Assim, eu sou beneficiado e o meu vizinho também. Essa cultura de partilha é que também precisa ser fomentada”, incentiva.

Turistas de todas as idades visitam o local ao exemplo da aventureira, Maria Izabel da Fonseca Martins, de 75 anos, de Curitiba que veio com a equipe Pé na Estrada. Ela com outros 20 turistas realizaram boia cross no Rio das Cinzas. O grupo também fez trilha Cânion do Cadeado, na Fazenda Cercado Grande.

O passeio pelo rio é uma das atrações do lugar

A turista relata que sempre busca novos lugares para aproveitar a natureza. “O passeio de boia cross me deixou extasiada é muito lindo tudo isso. O Rio das Cinzas é maravilhoso. É muito gostoso descer estas corredeiras e apreciar a natureza em volta. Aqui não tem idade, é uma atividade para qualquer um, crianças, jovem, adulto e idoso”, revela Maria Isabel.

Agentes de turismo oferecem passeios na região

O agente de turismo da Pilatus 4×4, Fernando Neumann, destaca que os Campos Gerais possui muitas belezas naturais tanto para contemplação como para atividades mais radicais.

“A nossa agência procurar trazer as pessoas que gostam de aventura com 4×4. Aqui na região temos ótimas opções. Para o carnaval, temos uma uma caravana formada por pessoas de diversas cidades do Paraná que vão fazer Off Road, caminhar por dentro do leito do rio, trilha pela serra e almoçar costela de chão”, revela Fernando.

Também quem compartilha da ideia que a região possui muito potencial turístico é o proprietário da Adventurous Friends Turismo & Aventura, presidente do Conselho Municipal de Turismo de Jaguariaíva e diretor da ADETUR, Carlos Alberto Ornellas Filho. Ele salienta que a região dos Campos Gerais tem um grande potencial em atrativos naturais e culturais. Com grande gama de possibilidades para o desenvolvimento de produtos turísticos.

Carambeí, primeira colônia holandesa da região dos Campos Gerais, foi fundada em 1912

“Existem diversos outros destinos que tem potencial bem menor, mas que os serviços turísticos estão melhor estruturados. A região tem muito a crescer se fizer de forma ordenada. É preciso focar em qualificação profissional para melhorar o atendimento. Além de investimentos em produtos turísticos e preservação do meio ambiente. Tudo isso gera renda e qualidade de vida”, acredita Ornellas.

Ele fala que a parceria com a Cercando Grande nasceu de uma vistoria de reconhecimento. “Há quase uns 3 anos, realizei um trabalho onde listei as propriedades com potencial turístico. O empenho e flexibilidade do proprietário José Luiz da Fonseca Pereira, o Zeca Fonseca, em entender o movimento turístico, a oportunidade de criação e de demanda foram fundamentais”, finaliza.

Fonte: http://d.arede.info

Deixe uma resposta