Início Cultural Rio Montreux Jazz Festival acontece em junho

Rio Montreux Jazz Festival acontece em junho

229
0
COMPARTILHAR

O Rio de Janeiro será palco de um dos mais icônicos eventos musicais do mundo. O Montreux Jazz Festival, criado em 1967, na cidade que leva o mesmo nome, vai acontecer pela primeira vez na América Latina.

A programação – entre os dias 6 e 9 de junho – seguirá o mesmo formato do evento que acontece na Suíça. O Rio de Janeiro, reconhecido globalmente como uma cidade que vibra cultura, foi escolhido para essa estreia.

A programação do Rio Montreux Jazz Festival vai ocupar diferentes pontos da capital fluminense. A cidade receberá o melhor da música e cultura em atrações pagas e gratuitas. O objetivo é estimular o acesso à atmosfera vibrante e criativa da arte que tornaram o Festival conhecido mundialmente.

No Pier Mauá, o Rio Montreux Jazz Festival ocupará 3 palcos. Eles  homenageiam grandes estrelas da música brasileira: Ary Barroso, Tom Jobim e Villa-Lobos. Eles têm capacidade para receber até seis mil pessoas, por dia de evento. Além dos shows, o público terá área de convivência com bares e food trucks.

A cada ano, o festival lança o pôster da edição, criado especialmente por um artista. O pôster da primeira edição do Rio Montreux Jazz Festival tem a assinatura do premiado publicitário Marcello Serpa. O Pier também irá sediar uma exposição com os pôsteres de edições passadas do evento.

Os ingressos já estão à venda

Além da programação de shows no Pier Mauá, a música vai ocupar a cidade em outros 5 palcos gratuitos. No Parque Madureira estará o Palco Pixinguinha, com área para receber um público de até 5 mil pessoas.

Em outros quatro pontos da cidade estarão os palcos Montreux Urbano. A iniciativa quer estimular o acesso à cultura e incentivo às novas revelações da música brasileira.

O Rio Montreux Jazz Festival é apresentado por Mastercard, através da Lei de Incentivo à Cultura do Governo Federal, e pela Claro. O evento tem apoio do Fairmont Rio de Janeiro Copacabana. A produção geral tem assinatura da Dream Factory, Gael e MZA Music.

Al di Meola é um dos artistas confirmados

“A realização do Rio Montreux Jazz Festival é um enorme reconhecimento para a importância do Brasil no roteiro mundial dos eventos musicais. Teremos os grandes nomes da música brasileira e internacional, juntos com as grandes promessas e novas descobertas. Serão apresentações históricas nesse cenário único que é o Rio de Janeiro”, indica Gaetano Lops, sócio da Gael.

“O Rio Montreux Jazz Festival reforça todo o potencial da cidade na promoção de grandes eventos de cultura. Esse festival vai entrar para o calendário, junto a outros eventos como a Árvore da Lagoa e o Carnaval de Rua. Importante reforçar o impacto econômico positivo, incluindo a geração de empregos e a vinda de turistas de todas as regiões”, comenta Cláudio Romano, CEO da Dream Factory.

Grandes nomes da música brasileira já estiveram no Montreux Jazz Festival 

O produtor musical Marco Mazzola, responsável pela noite brasileira do Montreux Jazz Festival desde 1978, está à frente da direção artística do Rio Montreux Jazz Festival.

Entre os grandes nomes que se apresentaram nesta programação estão Gilberto Gil, João Gilberto, Tom Jobim, Maria Bethânia e João Bosco. Além de encontros de lendas no palco, como Elis Regina com Hermeto Pascoal ao piano.

A apresentação histórica de Hermeto Pascoal e Elis Regina

“Em 1978, André Midani (na época Presidente da Warner Music), muito amigo de Claude Nobs, me convidou para ser o vice-presidente da companhia. E o primeiro projeto seria organizar a primeira noite de música brasileira no Montreux Jazz Festival. O sucesso foi tanto que os ingressos esgotaram rapidamente. No ano seguinte, em 1979, convidamos Elis Regina e Hermeto Pascoal (um dos poucos a quem Miles Davis chamava de gênio). Como o evento, além do jazz, também tem foco em apresentar outros estilos musicais, ao longo dos anos tivemos a oportunidade de levar tanto artistas já consagrados como também jovens músicos de excepcional talento. É com muita alegria que vejo a realização de um antigo sonho meu, de Claude e de Mathieu Jaton (atual diretor geral do Festival de Montreux), que é trazer o espírito do Montreux Jazz Festival para o Rio de Janeiro”, diz Marco Mazzola.

Nomes nacionais de peso estarão no festival

Para os palcos do Rio Montreux Jazz Festival, Mazzola selecionou artistas de diferentes gerações e estilos. Além de encontros que marcarão um novo capítulo da música brasileira.

Em 2019, ano marcado pelos 25 anos de ausência de Tom Jobim, a noite de abertura terá um encontro entre o Quarteto Jobim e Maria Rita, com uma homenagem ao grande maestro.

Maria Rita homenageia Tom Jobim

Nesta mesma data acontece a apresentação de Steve Vai, um dos maiores guitarristas da história. Ele está preparando um show exclusivo para o festival no dia de seu aniversário, dia 6 de junho.

No dia 7, sexta-feira, acontece um encontro inusitado de três grandes nomes da música brasileira. Frejat, Zeca Baleiro e Pitty tocarão juntos os maiores sucessos de suas carreiras.

No dia 8 de junho, Andreas Kisser reúne convidados e comanda um show inédito. No roteiro, grandes hits do heavy metal em formato instrumental.

Já o último show do festival, na noite de 9 de junho, trará a mistura de sons. Estarão juntos Ivan Lins, Chucho Valdés e Irakere. A união de Brasil e Cuba, reeditando um show exclusivo realizado em Havana, em 1996.

Entre as atrações internacionais estão Stanley Clarke, John Scofield, Steve Vai e Al Di Meola

Para os palcos gratuitos, a programação vai incluir nomes revelação da música, muitos já premiados internacionalmente. Além de projetos sociais de êxito realizados na cidade, como a Orquestra de Câmara da Rocinha e a Camerata Jovem.

Além disso, será um espaço para a pluralidade de ritmos e cultura. Entre as atrações está a nova geração da música instrumental no Brasil. Os artistas homenagearam grandes lendas como Luiz Gonzaga, Egberto Gismonti, Pixinguinha e Paulo Moura.

“É muito gratificante poder trazer um evento de grande representatividade da Suíça para o Rio de Janeiro. A capital carioca é uma cidade conhecida mundialmente por sua musicalidade. Com tantos talentos nacionais e internacionais que subirão ao palco, temos certeza que esse será o primeiro de muitos”, afirma Rudolf Wyss, Cônsul-geral da Suíça no Brasil.
Yamandu Costa também se apresenta no Rio Montreux Festival

“Com o patrocínio do Rio Montreux Jazz Festival, a Mastercard reforça seu propósito de oferecer atividades culturais de qualidade, que contribuem para o desenvolvimento da sociedade. Como marca, temos o objetivo de ser um agente transformador, que promove a mudança social. O incentivo à cultura é um dos pilares para atingir essa meta” diz Sarah Buchwitz, VP de Comunicação e Marketing Mastercard Brasil e Geo South.

“O Rio Montreux Jazz Festival está em sintonia com um dos objetivos da Claro, que é conectar pessoas e democratizar entretenimento e cultura. Acreditamos no DNA transformador da música e na importância de apoiar eventos como este. É uma satisfação fazer parte desse projeto”, avalia Márcio Carvalho, diretor de marketing da Claro Brasil.

“O Fairmont é o hotel oficial do Montreux Jazz Festival na Suíça. É com muito orgulho que fazemos nossa estreia no Rio de Janeiro junto com a primeira edição do Rio Montreux Jazz Festival. Chegamos ao país junto com a música, a cultura e a magia que esse festival desperta. Para nós, o Rio de Janeiro é um destino icônico, que reforça sua vocação de eventos e alegria com os palcos de Montreux”, fala Michel Nagy, diretor de Vendas e Marketing do Fairmont Copacabana.

 

Deixe uma resposta