Início Meios de Pagamento Consórcios podem ser estratégia para realizar viagem de férias

Consórcios podem ser estratégia para realizar viagem de férias

851
0
COMPARTILHAR

Tradicionalmente utilizado para a compra de carros e imóveis, os consórcios têm se consolidado como tendência para muitas pessoas que querem tirar do papel a tão sonhada viagem internacional de férias, mas pretendem aguardar a melhora do cenário da pandemia.

Consórcio pode ser estratégia para realizar viagem de férias

O setor de consórcio atrai viajantes para a modalidade desde 2008, quando deixou de ser usado exclusivamente para a compra de bens.

Hoje em dia, muitos dos sonhos das pessoas, como viajar, está na categoria de serviços, e chama a atenção pelos indicadores de crescimento: o segmento ultrapassou a marca de 200 mil cotas ativas em novembro de 2021, com volume de crédito comercializado de R$871,66 milhões e tíquete médio de R$14,23 mil.

No mesmo período, o setor de consórcios no geral atingiu 8,40 milhões de participantes, o mais alto registrado em quase seis décadas de história, além da marca de R$202,34 bilhões de créditos comercializados e representando 3,9% do PIB brasileiro, segundo dados da Associação Brasileira de Administradoras de Consórcios (ABAC).

O consórcio para viagens atende uma demanda reprimida de milhões de pessoas que desejam a tão sonhada viagem internacional, mas não têm dinheiro e precisam de tempo para se programar. As cartas de crédito do consórcio podem ser utilizadas para pagar hotéis, passagens aéreas, agências de viagem, passeios e, principalmente, evitar empréstimos em bancos e dívidas no cartão de crédito.

Atenta a esse comportamento, a Eutbem ingressa no mercado financeiro como a primeira fintech de consórcios totalmente digital e voltada ao público feminino. A empresa proporciona acesso justo ao crédito programado oferecendo uma opção de recursos financeiros com taxas baixas e acessíveis.

Além de 100% digital, desenvolve uma comunicação focada nas mulheres, suas necessidades e sonhos, pois sabe que nem sempre elas têm a mesma oportunidade dada aos homens para obtenção de crédito.

Atualmente, as mulheres representam apenas 35% das cotas ativas dos consórcios, de acordo com dados da ABAC, e a Eutbem trabalha para aumentar esse número.

“Queremos oferecer acesso ao crédito de maneira justa para as mulheres, e levar informação sobre utilizar o consórcio de serviços para a realização de sonhos, como uma viagem de férias sozinha ou com a família. O consórcio possibilita às mulheres a realização de um objetivo que pode ter sido adiado por muitos motivos. Esse é o nosso jeito de ajudá-las a tirarem seus sonhos do papel”, analisa Cristina Famano, CEO da Eutbem.

O consórcio se configura como um aliado das finanças pessoais, uma vez que os grupos têm duração de médio a longo prazo e a consorciada faz os pagamentos mensalmente. Na Eutbem, que é autorizada pelo Banco Central, as cartas de crédito vão de R$15 mil a R$25 mil, com parcelas a partir de R$375,00 e prazo de 30 a 40 meses.

Retomada do turismo em 2024

De acordo com a Associação Internacional de Transporte Aéreo (IATA), a retomada do setor será gradual e os patamares de vendas anteriores à pandemia devem voltar ao normal em 2024.

“Hoje, se alguém aderir a um grupo de consórcio de serviços e aguardar o período de 30 a 40 meses, a contemplação pode coincidir com a retomada do setor de aviação. O que é positivo, já que haverá tempo para fazer pesquisas e escolher o melhor itinerário para a realização da viagem”, pontua Cristina.

Lisboa é o destino mais procurado por brasileiros

Consórcio pode ser estratégia para realizar viagem de férias

O avanço da vacinação fez com que os brasileiros voltassem a viajar em 2021 e cerca de 300 mil pessoas embarcaram no segundo ano de pandemia, de acordo com relatório disponibilizado pelo Hurb.

Em relação aos destinos, um levantamento do buscador de viagens Kayak mostra que de 1º de janeiro a 15 de dezembro do ano passado o destino mais procurado pelos brasileiros foi Lisboa, em Portugal. Em segundo lugar aparece a capital argentina, Buenos Aires, e em terceiro Miami, nos EUA.

“Quem participa de um consórcio tem tempo para encontrar o melhor custo benefício para o seu bolso e, diferente do que muitos pensam, o destino não precisa ser definido no momento de adesão. Até acontecer a contemplação com a carta de crédito, a consorciada pode pesquisar e encontrar o melhor destino e concretizar o sonho que parecia impossível”, finaliza Cristina.

Leia também Consórcio para viagem é opção de crédito