Início Alimentos e Bebidas Chajá, tradicional doce uruguaio ultrapassa fronteiras 

Chajá, tradicional doce uruguaio ultrapassa fronteiras 

338
0
COMPARTILHAR

O Chajá tem história. São 91 anos de tradição, representando a cultura uruguaia. E a partir de agora, como reconhecimento, passa a integrar os produtos assinados pela marca “Uruguay Natural”. Hoje, já é comercializado em países como Argentina, Brasil, Paraguai e EUA

O doce é um dos símbolos do Uruguai pelo mundo

O Chajá é uma verdadeira delícia para os sentidos. Feita de uma combinação de bolo esponja, merengue, pêssegos e creme, a sobremesa foi criada em 27 de abril de 1927. Seu criador foi Orlando Castelhana, da confeitaria “Las Familias”, de Paysandu.

Ao longo dos anos, a receita ganhou variações, além do original, com novos sabores. Chajá clássico sem frutas, com morangos, chantili, chocolate aromatizado com caramelo, sorvete e Chajá Gold (com pêssego e abacaxi).

A fórmula até hoje é secreta. Por mais que seus ingredientes sejam analisados, há detalhes em sua composição que não podem ser detectados. O resultado é uma iguaria única e deliciosa.

A fórmula é um segredo de família

De acordo com a bisneta do criador, Maria Nardini, “o segredo está nas proporções dos ingredientes, como eles são feitos e como cada componente é montado na sobremesa“.

Seu nome Chajá, é devido a uma ave natural da América do Sul, muito comum no Uruguai. Ao observar sua plumagem arejada e corpo tão leve, seu criador comparou-o a sobremesa, adotando o nome.

Em outubro, o Ministério do Turismo do Uruguai e o Instituto Uruguai XXI concederam ao Chajá a licença para uso da marca do país: “Uruguay Natural“. Sua incorporação acrescenta um novo marco na história do tradicional produto.

A partir deste acordo, o tradicional Chajá passa a fazer parte da marca do país. Isso abrirá novas oportunidades de mercado pelo mundo. Além de estimular turistas e investidores a conhecer a terra onde ele foi criado e é produzido com sua misteriosa fórmula até hoje.

Deixe uma resposta