Início Agências de Viagem e TMCs Boletim Braztoa – 2: mercado nacional é a maior parcela das vendas

Boletim Braztoa – 2: mercado nacional é a maior parcela das vendas

41
0
COMPARTILHAR

No ranking dos destinos no mercado nacional, o primeiro lugar ficou com Gramado, seguido de Natal e Salvador na segunda colocação. Fortaleza, Maceió e Rio de Janeiro ficaram em terceiro lugar. Entre os destinos com crescimento expressivo no período figuram Bonito, Jalapão e São Luís.

Sobre a data de realização das viagens nacionais comercializadas em outubro, o imediatismo ganha destaque. Um quarto das vendas foram portanto para embarque no próprio mês e 63% terão embarques ainda em 2021.

Outros 30% foram para o 1º semestre 2022 e apenas 6% das viagens contam com planejamento a longo prazo e se realizarão no 2º semestre do próximo ano ou depois.

“A vontade e a necessidade de viajar para o bem da saúde mental, além das promoções de última hora aliadas às incertezas sobre as fronteiras e suas restrições de circulação, se mantêm refletidas em uma compra muito próxima ao embarque. Ainda fica evidente, olhando para o big data das mídias digitais, que o viajante está pesquisando muito e sendo influenciado por amigos e parentes na decisão de escolha do destino” disse Sidnei Pfau, CEO UP Soluções.

No internacional, América Central, Caribe e Europa foram as regiões mais vendidas. Entre os destinos, destaque para Cancún, Portugal, Paris e Estados Unidos, mostrando que as recentes aberturas de fronteiras já começaram a mudar as preferências de viagens para fora do Brasil, já que por muitos meses, por exemplo, destinos da Ásia figuraram neste ranking.

Em relação aos embarques internacionais, 13% das vendas foram para embarques ainda em outubro, 72% para o final de 2021 e verão do Hemisfério Sul, e 12% para o segundo semestre 2022.

Perspectivas para o fim de ano no mercado nacional

Como mencionado no começo do texto, os dias do ano não correspondentes ao período de férias e feriados representam portanto 30% das vendas de 2021 até o momento, o que reforça uma flexibilidade no planejamento das viagens, indicando uma redução na sazonalidade.

As férias de verão aparecem em segundo lugar com 21% das comercializações até outubro no mercado nacional, valores que devem aumentar com a proximidade da alta temporada, visto que o comportamento de compra está cada vez mais próximo da viagem.

Se considerarmos que os dados analisados são de outubro, vale ressaltar que o Réveillon merece grande destaque, pois, sozinho, alcançou o volume das férias de julho, representando 14% das vendas, seguidos pelo Carnaval e demais feriados com 8% cada. Já o Natal, sendo tradicionalmente um momento no qual se está com a família, representa 6% do total das vendas das operadoras. O que demonstra uma grande expectativa para o próximo ano com o retorno das viagens, sobretudo do Carnaval.

Em relação aos feriados de 2021, as vendas foram maiores para a semana do saco cheio (12 a 15 de outubro), 7 setembro, 15 novembro e 2 de novembro aparecem na sequência, respectivamente.

No geral, as experiências mais buscadas para as festas de fim de ano foram, respectivamente: Sol e Praia, Cruzeiros, Luxo, Viagens para Montanhas e Campo e Resorts. É importante registrar que essas indicações de preferências não devem delimitar a interpretação, uma vez que, na prática, eles têm grande miscigenação entre si.

Fazendo um recorte por evento, para o Réveillon as experiências mais buscadas foram Sol e Praia (26%), Luxo (19%) e Resorts (15%). Quando o assunto é o tipo de viagem, o destaque fica para os roteiros completos, com aéreo e terrestre (26%). Entre os destinos mais vendidos, Rio de Janeiro e Dubai lideram a lista.

Em relação ao Carnaval 2022, o mercado nacional se destaca. Viagens de Sol e Praia (26%) e o Luxo (23%) são as mais buscadas, sendo que as experiências completas ficam no topo das preferências (25%), com Salvador em destaque.

Já no Natal, o luxo (23%), viagens de para montanhas e campo (20%), e os Resorts (18%) figuram entre as experiências mais buscadas. Aqui, os roteiros completos também foram protagonistas, representando 25% das compras com Gramado figurando no topo das buscas.

Por fim, para os feriados no decorrer de 2021, o produto mais vendido foi o terrestre (21%), locação de automóveis (20%) e experiência completa com aéreo + terrestre (16%), o que confirma o protagonismo das viagens de proximidade para os pequenos períodos de folga.

“A coleta de dados junto aos associados Braztoa nos permitiu compreender assim os produtos e as experiências mais buscadas. A análise de Big Data da Plataforma Sentimonitor nos ajuda a entender que os pacotes de 7 dias seguem sendo os mais procurados, independente do feriado e do público. Os amigos e familiares encontram no Natal e no Réveillon o momento de busca por permanências mais longas, de 15 e 30 dias, contribuindo dessa forma para a formatação de produtos específicos a este público. Também identificamos que outubro alcançou o pico de menções pelo Natal e Réveillon e, agora em novembro, o Carnaval já começa a ganhar evidência e protagonismo nas publicações. É a partir da análise combinada de diversas fontes em tempo real que conseguimos ser cada vez mais precisos na tomada de decisão”, aponta Rayane Ruas, Head of Intelligence da UP Soluções.

Destacamos, por fim, que os Cruzeiros Marítimos que representaram 15% das vendas para o Carnaval, 12% para o Réveillon e 11% para o Natal. Com protocolos robustos e experiências que oferecem transporte, hospedagem, alimentação e entretenimento em uma única viagem, a navegação vem ganhando força entre as opções escolhidas pelas pessoas e volta às vitrines de agências e operadoras, que representam 90% das vendas desse tipo de viagem.

“A venda de uma experiência completa que inclui o modal de transporte e os serviços terrestres, inclusive com seguro-viagem incluso, tiveram uma enorme representatividade e isso evidencia a importância do papel das operadoras nesse momento de recuperação em que o viajante quer voltar a realizar sua viagem com o apoio de profissionais que assegurem sua tranquilidade e segurança”, completa Marina Figueiredo, vice-presidente da Braztoa.

Leia também Boletim Braztoa de outubro faz radiografia do setor

Deixe uma resposta