Início Cultural Viajando pela República Tcheca através dos livros

Viajando pela República Tcheca através dos livros

200
0
COMPARTILHAR

Que tal, por enquanto, uma viagem para a República Tcheca por meio dos livros? Através de seus personagens e lugares, os autores tchecos levarão você a uma atmosfera histórica, poética e bela do país.

Para conhecer um pouco melhor a cidade de Praga e seu ambiente no passado e presente, recomendamos livros como Gólem, de Gustav Meyrink, ou o divertido romance policial The Mill of Mummies, de Petr Stančík.

Viajando pela República Tcheca através do livros
Petr Stančík

O autor fornece tantas pistas no livro que se pode visitar Praga seguindo os passos de seu personagem principal. Dois outros romances intrigantes são The Violinist in Prague, de Michael Crane (2010), e Star Hour of the Assassins, de Pavel Kohout (2006).

Dicas para quem quer viajar pela história da República Tcheca

Os amantes da história também têm boas opções. Eles não devem deixar de ler obras como O Dinheiro de Hitler, de Radka Denemarková, que aborda os judeus alemães na Tchecoslováquia após a Segunda Guerra Mundial. Outra dica é Sweets from My Childhood, de Dominika Dery. O livro mostra a penúria de uma família durante o governo soviético da antiga Tchecoslováquia.

Viajando pela República Tcheca através do livros

Já o escritor e editor Ivan Klíma compilou 25 artigos, palestras e outros textos em The Spirit of Prague. Através de suas experiências durante a ocupação nazista, os campos de concentração, o regime comunista e até a primavera de Praga, podem ser reconstruídos 50 anos de história.

Outra leitura obrigatória é O poder dos impotentes, de Václav Havel. É um ensaio considerado um verdadeiro manifesto de dissidência em vários países comunistas.

Vaclav Havel, autor e ex-Presidente Tcheco

Um pouco mais romanceado, mas no contexto do Pacto de Varsóvia, é o livro Missões Noturnas, um trabalho em que Jáchym Topol compartilha a angústia desse episódio sombrio no país. Com um tom humorístico, Bohumil Hrabal também narra episódios de resistência contra os invasores alemães, durante a Segunda Guerra Mundial, em Trens Rigorosamente Vigiados.

Também vale a pena descobrir Jan Neruda. É um autor tcheco do final do século XIX que escreveu Contos de Malá Strana (Editora Record, 2011), em cuja obra ele mostra um retrato poético e crítico dos moradores de seu bairro.

Há opções para vários tipos de literatura

Menos apegado à realidade é Karel Čapek. É um escritor que encantará os amantes de ficção científica em RUR, a Fábrica de Robôs (2011) e em A Guerra das Salamandras (2010).

Outros títulos que podem fazer milagres para preencher o tempo livre são The Shit Burns (1994), de Petr Šabach, um autor contemporâneo da República Tcheca, com vários best-sellers e O Lago, de Bianca Bellová, o livro mais traduzido em outros idiomas nos últimos tempos.

É o quarto romance desta autora tcheca que recebeu o Prêmio de Literatura concedido pela Comissão de Cultura da União Europeia. Temas sociopolíticos subjacentes ao trabalho e outros tão atuais quanto a ecologia são abordados.

Leia também Cinco roteiros pelos cenários das séries do momento

Deixe uma resposta