Início Especial Covid-19 Livros de romance na Itália para inspirar a próxima viagem

Livros de romance na Itália para inspirar a próxima viagem

1015
0
COMPARTILHAR

As viagens vão sendo retomadas aos poucos, mas é possível conhecer um pouco sobre a Itália através de livros de romance. Listamos alguns que podem ser um bom começo para quem quer conhecer o país e sua cultura, através da literatura.

Não se Mova – Margareth Mazzantini

Filmes de romance na Itália para inspirar a próxima viagem

Um romance contemporâneo de Margareth Mazzantini conta a história de Timóteo, um cirurgião que revive as memórias de seu último caso de amor com a Itália. De pano de fundo está a região de Molise e sua paisagem idílica. O filme “Não se Mova” (2004) com Penelope Cruz é baseado no romance.

“A vida é um depósito cheio de caixas, algumas vazias, outras perdidas para sempre. Nós somos o que resta, o que agarramos”.

Não Tenho Medo – Niccolò Ammaniti

Filmes de romance na Itália para inspirar a próxima viagem

Escrito por Niccolò Ammaniti em 2001, o livro é um romance de ficção. O best-seller é ambientado em 1978 em uma vila imaginária no sul da Itália – Acqua Traverse – onde Michele, de 9 anos, descobre um segredo que não ousa dizer a ninguém: o filho de uma família rica foi sequestrado. A história sobre a inocência infantil de Niccolò Ammaniti inspirou o diretor Gabriele Salvatores em seu filme de 2003, “Eu Não Tenho Medo”.

“Pare de falar sobre monstros, Michele. Monstros não existem. É dos homens que você deve ter medo, não dos monstros”.

O Leopardo – Giuseppe Tomasi di Lampedusa

Livros de romance na Itália para inspirar a próxima viagem

Um dos romances italianos mais famosos do mundo, publicado em 1958, este livro histórico de Tomasi di Lampedusa narra a história de uma família nobre em declínio na Sicília durante o período da unificação italiana. Uma evocação de um mundo perdido, tendo como pano de fundo as mudanças na vida rural e na sociedade siciliana. O romance serviu de base para o clássico filme de 1963 de Luchino Visconti.

“As chuvas haviam chegado, as chuvas haviam passado e o sol estava de volta ao seu trono como um monarca absoluto mantido fora dele por uma semana pelas barricadas de seus súditos, e agora reinando mais uma vez, colérico, mas sob restrição constitucional. O calor aumentou sem queimar, a luz dominou, mas deixou as cores viverem; do solo brotaram cautelosamente trevo e hortelã, e nas faces surgiram esperanças acanhadas ”.

Sob o Sol da Toscana – Frances Mayes

Livros de romance na Itália para inspirar a próxima viagem

É um livro de memórias da escritora americana Frances Mayes. Ele fala sobre a decisão de Frances de comprar e reformar uma vila abandonada na Toscana para mergulhar na cultura local. Viajante experiente, a autora também convida os leitores a descobrir os sabores da cozinha toscana rústica (o livro inclui várias páginas de receitas).

“Minha ideia de paraíso ainda é dirigir pelas estradas de cascalho da Umbria e da Toscana, agradavelmente perdida”.

The Gondola Maker (sem edição brasileira) – Laura Morelli

Livros de romance na Itália para inspirar a próxima viagem

Criada pela historiadora de arte e escritora de viagens americana Laura Morelli, esta ficção histórica premiada se passa no século XV, na fascinante Veneza. O foco está nos Vianellos, uma das famílias mais conhecidas pela fabricação de gôndolas. A história combina amor, perdão e redenção por meio do amor pela arte.

“Em Veneza, as coisas nem sempre são como parecem à primeira vista. Eu contemplo esta observação de meu posto no convés de uma das gôndolas do Mestre Fumagalli, tendo o panorama de pontes, cúpulas, torres de sino e cais de minha cidade natal. Remo para o gargalo do Grande Canal e, um por um, o reflexo de cada fachada colorida aparece, apenas para se dissipar em cacos oscilantes e cintilantes sob meu remo ”.

Cristo Parou em Éboli – Carlo Levi

Em 1935, Carlo Levi – médico, escritor e pintor – é mandado para o exílio em um vilarejo desolado no sul da Itália por causa de sua oposição ao governo fascista da Itália. Durante o seu período de confinamento de um ano na região da Lucânia (hoje Basilicata), ele teve a oportunidade de experimentar a beleza do ambiente agreste e a autenticidade de seus habitantes, vivendo a mesma vida de seus ancestrais.

“Os maiores viajantes não foram além dos limites de seu próprio mundo; trilharam os caminhos da própria alma, do bem e do mal, da moralidade e da redenção”.

Abril Encantado – Elizabeth von Arnin

O livro foi escrito em 1922 pela romancista inglesa Elisabeth von Arnim. Este romance conta a história de quatro mulheres inglesas independentes que alugam um castelo medieval na Riviera italiana e partem para as férias. As quatro personagens experimentam tensões e conflitos, mas encontram rejuvenescimento na beleza silenciosa dos arredores.

“Todo o brilho de abril na Itália estava reunido a seus pés. O sol derramou sobre ela. O mar dormia nele, mal se mexendo. Do outro lado da baía, as adoráveis montanhas, de cores primorosamente diferentes, também dormiam sob a luz; e embaixo de sua janela, na parte inferior da encosta de grama estrelada por flores de onde se erguia a parede do castelo, havia um grande cipreste, cortando os delicados azuis, violetas e rosas das montanhas e do mar como uma grande espada negra”.

Pompéia – Robert Harris

Robert Harris mistura ficção e história para recriar um mundo luxuoso à beira da destruição: é o final do verão do ano 79 DC, os cidadãos ricos de Roma estão descansando em suas vilas quando os avisos ameaçadores começaram. O romance retrata a erupção do Monte Vesúvio em 24 de agosto de 79 DC que destruiu Pompeia e seus arredores, do ponto de vista de quatro personagens diferentes: um jovem engenheiro, uma adolescente, um magnata corrupto e um cientista idoso.

“O que era liderança, afinal, senão a escolha cega de um caminho em vez de outro e a pretensão confiante de que a decisão foi baseada na razão? ”.

Sob o Céu Escarlate – Mark Sullivan

Baseado em uma história real, é um conto épico sobre a extraordinária coragem e resistência de um jovem durante a ocupação nazista na Itália. Quando sua casa em Milão é arrasada pelas bombas aliadas, Pino Lella se junta a uma organização que ajuda judeus a fugir nos Alpes e se apaixona por Anna, uma viúva. Seus pais, preocupados com ele, forçam-no a se alistar no exército alemão.

“Como você encontra a felicidade? ” Anna fez uma pausa e disse: “Você começa olhando ao seu redor em busca das bênçãos que tem”.

Destino: Roma – Penelope Green

Aos 28 anos, Penelope Green tinha um emprego perfeito e uma vida confortável em Sidney. Mas decide largar tudo para perseguir seu sonho de toda a vida: se mudar para a Itália. Neste divertido livro de memórias de viagem, a autora mergulha em Roma sem emprego, sem amigos, sem lugar para morar e sem saber falar italiano.

“Esta é uma pequena história sobre o que aconteceu quando abandonei tudo – carreira, apartamento, família e amigos – para perseguir um sonho romântico que eu estava rezando para que mudasse minha vida para melhor. Mesmo que eu não tivesse ideia do que me faria feliz ”.

O Talentoso Ripley – Patricia Highsmith

Um romance de suspense psicológico de 1955, a história se concentra em Tom Ripley. Ele é um jovem americano que é contratado por Greenleaf, um rico industrial, para trazer de volta seu filho errante, Dickie, da Itália. O fascínio de Ripley pelo estilo de vida de Dickie logo o leva a decidir tomar seu lugar.

“Ele gostou do fato de Veneza não ter carros. Isso tornava a cidade humana. As ruas eram como veias, ele pensava, e as pessoas eram o sangue, circulando por toda parte”.

The Ghosts Of Italy (sem edição brasileira) – Angela Paolantonio

Nascida em Nova York, Angela Paolantonio tem raízes profundas no sul da Itália: por isso, depois de celebrar o Dia de Ação de Graças em Roma, sozinha, empreende uma viagem à remota aldeia de seus ancestrais fantasmas, no território de Irpínia, na cordilheira dos Apeninos. Sua jornada se torna uma oportunidade para descobrir o espírito de sua família e as memórias que pareciam perdidas para sempre.

“Eu realmente não sabia que estava procurando por alguma coisa até chegar aqui. Então eu percebi o que estava faltando e o que isso significava ”.

Leia também Uma viagem pelo mundo com cinco filmes

Deixe uma resposta