Início Especial Covid-19 Elo cria site para doações a famílias de regiões turísticas

Elo cria site para doações a famílias de regiões turísticas

467
0
COMPARTILHAR

A Elo, empresa brasileira de tecnologia de pagamentos, começa a segunda fase do projeto Elo do Bem. A iniciativa entrega cestas básicas em cartões pré-pagos para famílias cuja principal fonte de renda é o turismo.

A atividade está praticamente interrompida por conta de medidas de restrição para combater à Covid-19. Nesta etapa, a participação da sociedade é fundamental para atingir a meta de ajudar 11 mil famílias, por meio de doações no site doare.net/elodobem.

Na primeira fase, mais de 5,5 mil famílias já foram atendidas em Porto de Galinhas (PE), Barra Grande – Península de Maraú (BA), Jijoca de Jericoacoara (CE), Pirenópolis (GO), Chapada Diamantina (BA), Morro de São Paulo (BA) e Pipa (RN). A ação é parte do programa Elo Destinos, que desde 2016 investe em manutenções e melhorias de destinos turísticos no país. A empresa contribuiu com mais de R$ 20 milhões.

“Há anos apoiamos o desenvolvimento dessas regiões que são verdadeiros patrimônios nacionais. Agora é o momento de união para dobrar os esforços e ajudar famílias de outras cidades, até que haja segurança para retomarem suas atividades”, comenta Luis Cassio de Oliveira, diretor de marketing e comunicação da Elo.

Todos podem fazer parte dessa corrente transformadora, que busca socorrer 11 mil famílias, em Bento Gonçalves (MG), Brotas (SP), Circuito do Ouro (MG), São Roque (SP). Além de outras regiões atendidas na primeira fase do projeto. Para tanto, basta acessar doare.net/elodobem e fazer sua doação a partir de R$ 10.

Nesta segunda fase do projeto, a fintech de doações on-line Doare atua como viabilizadora da campanha Elo do Bem. Ela é responsável pelo repasse das doações para os beneficiários, que receberão cartões pré-pagos, com valor equivalente a 3 cestas básicas com 13 itens de alimentação. O benefício será concedido para profissionais que atuam como garçons, artesãos, vendedores, “bugueiros”, entre outras atividades dependentes do turismo.

Leia também Brinde do Bem injeta 5 milhões de reais em bares e restaurantes de São Paulo

Deixe uma resposta