Início Agências de Viagem e TMCs A análise de dados pode socorrer o setor de viagens e turismo

A análise de dados pode socorrer o setor de viagens e turismo

228
0
COMPARTILHAR

O distanciamento social imposto pela pandemia do novo Coronavírus impactou severamente a indústria de viagens e turismo. Pontos turísticos foram fechados, voos suspensos, eventos cancelados, fronteiras interditadas, hotéis e pousadas obrigados a fechar as portas. Qualquer análise de dados irá mostram uma crise aguda no setor.

Em todo o Brasil, de acordo com a Confederação Nacional de Comércio, Serviços, Bens e Turismo (CNC), o setor acumulava perdas de R﹩87,7 bilhões nos três primeiros meses desde início da pandemia.

À medida que a atividade econômica inicia sua lenta recuperação, a incerteza continua sendo uma grande barreira, com governos decretando restrições a certos países e fazendo mudanças na forma como as empresas de viagens e turismo podem retomar as operações – a maioria forçada a fazê-lo com uma capacidade drasticamente reduzida.

Transformação baseada em dados

Seja uma companhia aérea, linha de cruzeiros, hotel ou operador turístico, aproveitar ao máximo cada reserva será mais importante do que nunca – especialmente nos próximos meses e anos. A adoção da ciência e análise de dados será fundamental para a recuperação deste setor, desempenhando um papel fundamental para ajudar as empresas a entender como reduzir custos e gerar o máximo de receita enquanto obedecem a uma nova e rigorosa regulamentação.

“De acordo com nossas observações, a indústria de viagens e turismo está sentada em uma mina de ouro de dados. Geralmente, apenas uma fração desses dados é utilizada hoje em dia, principalmente de forma descritiva, ou seja, condensando grandes quantidades de informação em relatórios facilmente digeríveis”, disse Leandro Rodriguez, vice-presidente da Alteryx para a América Latina. 

Para Rodriguez, embora esses dados possam fornecer aos tomadores de decisão um nível de compreensão sobre seus resultados de negócios, as informações muitas vezes chegam tarde demais e carecem de percepções criativas para que se possa agir adequadamente.

“A pandemia da Covid-19 é um alerta de que a capacidade de prever o que poderia acontecer e o que acontecerá é crítica para a indústria do turismo, a partir de uma perspectiva que inclua desde a estratégia até a execução. Agora, mais do que nunca, as empresas aéreas precisam se adaptar rapidamente para se prepararem para a era pós-confinamento, analisando e prevendo as rotas mais populares para que possam planejar com antecedência suas necessidades de funcionários e de consumo de combustível, a fim de melhorar a eficiência operacional e maximizar o potencial de receita. Isto também exige que as empresas de viagens e turismo adotem uma tecnologia intuitiva de autoatendimento, que permita que toda a organização tenha acesso a esses dados em tempo hábil, faça melhores perguntas para prever e reagir a mudanças na demanda e tome decisões críticas baseadas em dados”.

Ajudando as companhias aéreas a alçar voo na ciência e análise de dados

Há muitas maneiras práticas de dados e análises poderem ajudar as empresas de viagens a racionalizar seus negócios, desde a automação de preços de passagens e programação de pessoal de bordo até a eficiência no consumo de combustível. Rodriguez elenca três exemplos de companhias aéreas que estão fazendo sua “lição de casa”.

– Usando um método baseado em dados, uma grande companhia aérea norte-americana economizou quase 100 milhões de dólares ao aumentar drasticamente sua eficiência na previsão de uso de combustível. Empregando mais de 24.000 pilotos e comissários de bordo, a empresa também melhorou a precisão das previsões de programação da tripulação, permitindo economizar centenas de milhares de dólares em custos extras que anteriormente surgiam devido à falha em antecipar as mudanças diárias.

– O principal fornecedor latino-americano de serviços de passageiros e carga aérea está usando um método semelhante para cuidar da análise de preços e da demanda, com base na dinâmica do mercado e nos preços da concorrência. Isto lhe permitiu reduzir seu processo analítico de 115 milhões de linhas de dados de 19 horas para pouco menos de uma hora. Como resultado, a empresa agora é capaz de construir uma modelagem estatística e preditiva para assegurar que os preços de todos os voos sejam fixados no valor correto e não perca dinheiro nem realize voos com muitos assentos vazio.

– Da mesma forma, uma companhia aérea britânica de baixo custo conseguiu melhorar sua precisão no planejamento de rotas para economizar combustível e voar de forma mais eficiente. A empresa, que geralmente opera 1.400 voos por dia no pico do verão, agora é capaz de analisar continuamente o monitoramento de dados de voo para identificar eficiências extras em taxiamento, decolagem, cruzeiro e pouso.

De acordo com Rodriguez, uma plataforma analítica de autoatendimento também pode ajudar as empresas aéreas na previsão de receita, tomada de decisões melhorada para overbooking direcionado, rotação e programação de limpeza – sendo este último especialmente importante no momento.

“Cultivar uma cultura de análise de dados pode ajudar muitas áreas do setor de viagens e turismo, incluindo aeroportos, hotéis e restaurantes”, afirma Rodriguez. “Para fazer isso, porém, é necessário encontrar a combinação certa entre a democratização do acesso aos dados, a automatização dos processos de negócios e a requalificação de cada analista de dados para que se torne um descobridor de oportunidades de rentabilidade”.

Leia também Turismo foi responsável por 45% dos empregos perdidos em 2020 no Brasil

Deixe uma resposta