Início Destaque Chega de mimimi empresário do turismo!

Chega de mimimi empresário do turismo!

0
COMPARTILHAR

Como adolescente que ainda não se deu conta que virou adulto, o trade do turismo brasileiro parece agir como se dependesse da mamãe-governo para atravessar a rua. É uma pena, pois se há alguém que pode se vangloriar das realizações neste setor é apenas o próprio empresariado.

No entanto, o que se vê é uma adulação contínua do segmento pelas “autoridades”, e que se revezam no poder, em todas as esferas. Geralmente são políticos de segunda linha, ou seus protegidos, que na falta de melhor opção, são acomodados em gabinetes sem qualquer apetite ou conhecimento mínimo do assunto. Assim, o turismo brasileiro vive de esparsos soluços de qualidade, e depende que um ou outro dê um tiro certeiro na mosca antes de desaparecer em rumo a outras paragens.

Há uma grande inversão de valores no Brasil. No mundo inteiro o turismo é bem-sucedido, quem faz – e justamente por isto dita as regras do jogo – é a iniciativa privada. As suas associações de classe não costumam andar atrás de governos com o pires na mão e em busca de atenção.

Ocorre exatamente o contrário. Primeiro, todos os envolvidos na cadeia econômica se unem através de uma organização de marketing de destino. A seguir, pela sua importância na economia, pela criação de empregos e geração de impostos, exigem dos governos participação através de políticas públicas que estimulem o desenvolvimento do setor.

No Brasil parece que cada segmento cuida de sua árvore, como se fosse possível separá-la da floresta. Agências, cruzeiros, aviação, hotéis, locação de automóveis, cada um tem seu próprio clube. Por isto, ninguém responde pelo turismo como um todo. O resultado da desunião é que, no que depender do governo, o país vai continuar a patinar, como há décadas, nos mesmos medíocres números de turistas de sempre.

Pensando bem, há dois tipos de empresários de turismo. Um deles chora as pitangas e reclama da falta de apoio oficial às suas iniciativas. O outro prefere realizar. Quanto ao governo, se não atrapalhar já ajuda, e muito.

O jornalista Fábio Steinberg é colunista da Revista Marco Zero e autor do site www.steiberg.com.br 

 

Deixe uma resposta