Início Notícias Livres As vendas no setor turístico vão bem obrigado, mas o número de...

As vendas no setor turístico vão bem obrigado, mas o número de empregos não. É o que aponta estudo do Sindetur sobre o setor de turismo entre 2014-2017

439
0
COMPARTILHAR
Marciano Freire (presidente do Sindetur) e Glauber Eduardo Santos (Analista de dados do Ipeturis)

O Sindetur SP– Sindicato das Empresas de Turismo no Estado de São Paulo- apresentou nesta terça-feira (13), em São Paulo, os resultados da pesquisa realizada pelo Ipeturis. O Instituto estudou o Desempenho do Agenciamento Turístico Nacional na Crise Econômica Brasileira no período de 2014-2017. Um dos principais dados mostra que as vendas no setor turístico vão bem, mas o número de empregos não.

A pesquisa revela que o volume total de vendas vem crescendo desde 2014, exceto em 2015, quando apresentou uma queda 11,9%. Em 2017 houve um aumento de 15,9% em comparação ao ano anterior, e em 2016 o aumento foi de 10,6% em relação a 2015.

“Apenas 342 novos postos contra 8.672 demissões ocorridas entre 2014 e 2016”

O mesmo não ocorreu com os índices de empregabilidade. Após 3 anos consecutivos de reduções nos postos de trabalho formais, em 2017 foi o primeiro ano de saldo positivo de 0,6% de empregos no setor. Mas esse crescimento ainda é muito pequeno se comparado ao acumulado de 8.672 postos fechados entre 2014 e 2016.

Outro dado importante apurado é que as microempresas (até 9 colaboradores) foram as que tiveram o maior aumento de contratações, 3,2%, totalizando 941 empregados a mais. Mas, mesmo assim, o número de colaboradores é ainda menor que em 2014. As pequenas (10 a 49 colaboradores) foram as que mais fecharam postos de trabalho em 2017, com 720 demissões, atingindo 5,5 mil empregados a menos que em 2014. As médias e grandes empresas (acima de 50 empregados) tiveram um pequeno crescimento, 121 empregados, mas permanecem com 2,3 mil empregados em 2014.

O futuro

As agências estão otimistas em relação às vendas. Segundo a pesquisa, 49% acreditam que aumentarão as vendas em curto prazo (em até 3 meses). Já no médio prazo, entre 3 e 6 meses, a estimativa é ainda maior: 76% das empresas têm expectativas de melhoras nas vendas.

Porém, embora tenham expectativas positivas quanto as vendas, a grande maioria (70%) das empresas pesquisadas não pretendem fazer novas contratações e esperam manter o número atual de colaboradores. Já o percentual de empresas que planejam fazer contratações é de 27%, bem mais do que as que pretendem demitir, 3%.

A saída é diversificar

Para Marciano Freire, Presidente executivo do Sindetur, a diminuição dos quadros nas agências se deveu em parte à substituição de pessoas por novas tecnologias de vendas, mas o ponto principal foi mesmo a fragilidade da economia. Para reverter esse quadro, ele acredita que uma das saídas é a diversificação dos produtos e serviços oferecidos pelas agências, como vendas de seguros viagem, curso de línguas para viajantes entre outros: ”Principalmente as microempresas que representam a maioria das agências, tem de se profissionalizar e aumentar a gama de serviços oferecidos”.

A pesquisa realizou 1.913 entrevistas, distribuídas em 231 cidades das 27 unidades da Federação.

Deixe uma resposta